Os Graus Simbólicos do Zodíaco I

Parkes_Michael-Moon_Thief

The World of Michael Parkes

Raul V. Martinez

Segundo a Volosfera e o Calendário Tebaico

K. Hitschler, em Pouvoirs Secrets des Mots et des Symboles (Editions de la Baconnière, Neuchatel, Suíça – 1968), informa, na página 121, que para cada grau do Zodíaco serão apresentadas duas imagens simbólicas. A primeira do livro de Janduz (1) e a segunda do livro de André Costeseque (2).

(1) J. Duzea – Ancien Vice-President Fondateur et Professeur au Centre d’Etudes astrologiques de France à Paris – Les 360 Degres du Zodiaque Symbolises par l’Image et par la Cabbale (Nouveau Procede de Rectification del’Heure de la Naissance) Illustre de 360 dessins de Mlle. Claude Lhuer. Editions Niclaus, Paris, 1939.

Na página 11, Janduz diz que entre as obras dos diferentes autores que se ocuparam da questão dos Graus Simbólicos, desde Ptolomeu, ateve-se ao texto de Antonio Borelli (1.1), complementando-o com desenhos e comentários. Diz que também se utilizou da velha edição de Christian (1.2), para obter o lado benéfico ou maléfico de diferentes graus ou imagens.

(1.1) Antonio Borelli, clarividente italiano do século XIX, autor do manuscrito conhecido como Volosfera, que contem 360 descrições simbólicas, uma para cada grau do Zodíaco. Sepharial traduziu essa série para o inglês, ampliando os significados atribuídos a cada um dos graus. Foi publicada na Inglaterra em 1898, acompanhada de outra série, a de Charubel, pseudônimo de John Thomas (1826-1908), que a teria recebido mediunicamente e a interpretado.

(1.2) A mais antiga lista de monômeros que se conhece é a do Calendário Tebáico, apresentado por P. Christian, no livro L’Homme Rouge des Tuileries (1852), reeditado por Guy Tredaniel, Paris, 1977. Esses mesmos 360 Graus foram transcritos por Scaliger (1600), que afirma que os estava reproduzindo de obra de Aben Ezra (século XII). Essa lista também consta do Astrolabium Pianum, de Johannes Angelus (começo do século XVI).

Auger-Ferrier, no livro Julgamentos Astronômicos sobre as Natividades (primeira edição, 1550) dá exatamente as mesmas definições e interpretações que Aben Ezra e Scaliger. Christian reproduz o texto de Auger-Ferrier, conforme J. Hieroz (Les Cahiers Astrologiques nº 139-140).

(2) André CostesequeLa Predetermination de L’Avenir, Editions des Cahiers Astrologiques, Nice, 1941, transcreve o Calendário Tebáico.

Ou seja, das duas imagens apresentadas por Hitschler para cada grau do Zodíaco, a primeira foi retirada da Volosfera e a segunda do Calendário Tebáico, conforme foram transcritas por Janduz e por Costeseque, respectivamente.

As imagens fornecidas pelos Graus Simbólicos, conforme Hitschler, devem ser entendidas e analisadas em seus significados e analogias, de forma ampla e de forma particular, considerando suas partes e componentes, inclusive as palavras, isoladamente.

Tradução Literal dos Graus Simbólicos apresentados por K. Hitschler, em Pouvoirs Secrets des Mots et des Symboles, feita em 1988, por Raul V. Martinez.

ex-libris-oil-michael-parkes

 Graus Simbólicos

Lembre-se que cada fração deve ser considerada um grau inteiro: 18º00′ de Capricórnio deve ser lido como 18º grau, mas 18º01′, bem como 18º59′, deve ser lido como 19º grau.

Áries

Aries

Mandala de Áries

Áries 01. Um homem robusto, com membros um pouco pesados, esta em pé, caminhando; sua mão direita balança uma clava, a mão esquerda está apoiada no quadril; uma pele de animal ou um pano grosseiro lançado sobre o corpo atenua a nudez. Ele dá a impressão de forca tranquila, mas decidida.

Ou – Um homem segurando com a mão direita uma foice e com a esquerda uma atiradeira.

Áries 02. Um belo cavaleiro sobre um cavalo de raça, arreado ricamente. Com a mão direita maneja um sabre, com a esquerda mantém as rédeas, dominando sem piedade o cavalo, que se empina vendo se introduzir sob suas patas formas reptilianas.

Ou – Um homem com cabeça de cão, a mão direita estendida e fechada em sinal de ameaça.

Áries 03. Uma mulher de boa companhia esta sentada em uma cadeira baixa, em seu aposento; seu olhar é agradável, sorridente, seu vestido é elegante; seu braço direito e sua mão esboçam um gesto como se desejasse explicar alguma coisa a alguém que não se vê. Atrás dela, uma mulher esta semi-deitada sobre um tapete, pouco vestida, em uma pose lasciva e provocante.

Ou – Um homem, com a mão direita estendida e aberta, e a esquerda atravessada em sua cintura.

Áries 04. Um bosque de árvores com muitas plantas e essências de espécies e cores diferentes, no qual passeia um homem rústico. Ao abrigo de uma moita, um homem grosseiro se dissimula.

Ou – Um homem com cabelos arrepiados, segurando com a mão direita um gavião e com a esquerda um chicote.

Áries 05. Uma porção de céu noturno transtornado por uma violenta tempestade, os trovões listram a nuvem, revelando uma massa rochosa, ao longo da qual, indiferente a tormenta, um homem forte, musculoso, decidido, sobe alegremente.

Ou – Dois homens: um cortando lenha com um machado; o outro segurando com a mão direita um cetro.

Áries 06. Na montanha, tendo seguido um caminho em curvas e abrupto, um homem a cavalo, na borda de um talude, olha altivamente em torno dele; a seus pés, no fundo do vale, trabalhadores se atarefam.

Ou – Um rei, coroa na cabeça, segurando com a mão direita uma esfera e com a esquerda um cetro.

Áries 07. Um caminho solitário no campo, conduzindo a um pequeno bosque; o caminho é ladeado por um muro que projeta uma linha de sombra, na qual corre uma raposa na direção do pequeno bosque.

Ou – Um homem com armadura e tendo uma flecha colocada no arco.

Áries 08. Um homem em cólera provoca outros que jogam pacificamente bolas em uma praça pública. Um punhal na mão, tendo dilacerado um cartaz, ele treme de raiva, constatando o pouco efeito que produz.

Ou – Um homem com um capacete na cabeça, tendo na mão direita uma
atiradeira.

Áries 09. Um homem em pé sobre um terraço elevado, os braços cruzados sobre o peito, em uma pose altiva, olha com ar conquistador o panorama de uma cidade a seus pés.

Ou – Um homem, com a cabeça nua, tendo na mão esquerda uma espada.

Áries 10. A esquerda: um campo de batalha, mortos e feridos. A direita: um quadro de caca, faisões, perdizes, coelhos; no meio, um homem armado.

Ou – Um homem perfurando um urso com um golpe de lança.

Áries 11. Uma mulher recostada sobre um sofá ou divã, em uma posição e com traje leve igualmente elegantes e um tanto equívocos, o vestido parecendo prestes a escorregar da espádua.

Ou – Uma mulher em pé, segurando com a mão direita uma chave.

Áries 12. Um homem segurando seus dois pequenos filhos pelas mãos passeia com eles em seu jardim; se entreve a casa simples através dos ramos. O pai é amável e, entretanto, ele parece atormentado por uma ideia que se percebe a razão no espelho de água que lhe mostra o seu reflexo adornado, cingido por uma faixa, etc.

Ou – Uma águia com as asas abertas, voando em redor de seu ninho.

Áries 13. Uma montanha iluminada pelo sol poente. Sobre seu cume se perfila um homem já idoso, um pouco curvado, segurando um cetro com a mão direita e uma coroa real com a mão esquerda. Um amplo manto esconde seu traje.

Ou – Um homem lutando com um carneiro que mantém pelos chifres.

Áries 14. Um homem bem trajado e de boa aparência sai de um celeiro bem suprido e apresenta, levantando o braço, um copo cheio de vinho. Diante dele um cão e um leão sentados se olham amigavelmente.

Ou – Um homem em pé, as mãos entrelaçadas.

Áries 15. Um homem em perigo de se afogar se debate contra a corrente; um pouco acima se vê a passarela que se desmoronou sob seus passos.

Ou – Um homem com armadura, cabeça nua, com os braços afastados e estendidos.

Aries 15

Áries 16. Uma mulher em pé, um pouco inclinada para frente, tem em equilíbrio uma balança cujos pratos contêm um deles um copo de vinho, e o outro, pecas de ouro, diamantes, pérolas etc.

Ou – Um homem derramando a água contida em um vaso.

Áries 17. Um jovem estudante, um livro na mão, passeia por um caminho sombreado; os raios do sol passam através dos ramos e iluminam seu rosto.

Ou – Um homem ricamente vestido, em pé e imóvel.

Áries 18. Um homem e uma mulher, ambos em pé, se apertam as mãos; eles têm um ar bom e doce, e o homem esboça um gesto de proteção.

Ou – Uma mulher sentada em um trono, a mão direita levantada.

Áries 19. Um velho, vestido com um roupão gasto, em interior pobre, aperta nervosamente contra seu peito dois sacos de pano, sobre os quais se destaca a palavra: Ouro.

Ou – Um homem em pé, as mãos estendidas para um cofre de onde escapa ouro.

Áries 20. Um homem se equipa para uma longa e dura viagem; em redor deles acessórios diversos; em seu cinto uma bolsa e um punhal.

Ou – Um homem com um capacete na cabeça, montado sobre um avestruz, e puxando um cavalo pelo bridão.

Áries 21. Um homem só sobre uma jangada, no meio do oceano encapelado; está maltrapilho, magro, com fome, miserável; mas é enérgico e mostra bons sinais de destreza.

Ou – Um cão sentado em frente de um leão, igualmente sentado.

Áries 22. Um homem, com ar distraído, se afasta de uma fonte da qual acaba de apanhar água, que ele deixa escapar da vasilha, sem se aperceber; no canto, um urso teima em morder uma arvore caída no solo.

Ou – Um urso sentado mordendo uma viga.

Áries 23. Um homem esta sentado sobre o canto de uma mesa debaixo de um
caramanchão, o ar despreocupado, olhando na luz o vinho de seu copo, enquanto dois maus companheiros, sentados não longe dele, conversam misteriosamente, o observando; a direita, três serpentes combatendo três outras.

Ou – Três serpentes que combatem três outras.

Áries 24. Um homem, preguicosamente recostado sobre um tapete, joga com
uma mão bolas brilhantes ou diversamente coloridas, enquanto que atrás dele se tem uma mulher quase nua, com um cinto guarnecido com pedras preciosas, que o olha com um ar dominador e desdenhoso.

Ou – Uma mulher nua, apenas com um cinto, com a mão direita estendida.

Áries 25. Um cavaleiro dando a impressão de forca monta um cavalo bravo que mantém firmemente nas mãos. Ele olha com um ar de desprezo um ser mal formado, com os cabelos desordenados, montado sobre um carneiro, que se esforça para joga-lo no chão.

Ou – Um homem com cabelos eriçados e montado sobre um carneiro.

Áries 26. Um personagem real apresenta seu cetro a um clérigo ajoelhado, enquanto que sobre eles, um grande sol projeta seus raios sobre um sol menor.

Ou – Um sol projetando seus raios sobre um sol menor.

Áries 27. Um homem tendo tropeçado vai cair, os braços para frente, próximo de um dragão que parece o observar.

Ou – Um grande dragão estendido sobre a terra.

Áries 28. Uma mulher loira, ricamente vestida, esta em pé, só, fazendo um gesto de acolhimento.

Ou – Uma mulher em pé, ricamente vestida.

Áries 29. Um homem robusto e de aparência humilde abate uma arvore a golpes de machado; no solo um livro, porque o homem se repousa estudando.

Ou – Um homem segurando com suas duas mãos uma serra.

Áries 30. Uma mulher puxa atrás dela um cavalo bem arreado, em lugar de se fazer transportar por ele, e mais longe, um homem equipado para ir a guerra parece consultar a Lua em seu declínio.

Ou – Uma mulher puxando atrás dela um cavalo arreado.

Touro

Touro

Mandala de Touro

Touro 01. Uma mulher em pé, no gênero de uma “vitória”, tem uma espada cuja ponta penetra na areia, enquanto um atleta, mantendo um touro pelos chifres, o derruba com elegância.

Ou – Um atleta derrubando um touro pelos chifres.

Touro 02. Um homem cansado ou morrendo esta estirado no solo, sob os raios do sol se pondo entre as nuvens, e, passando perto dele uma mulher deitada indolentemente sobre uma espécie de carro pequeno, semi-vestida, se fazendo puxar por um cavalo, passo a passo.

Ou – Uma mulher se dependurando na cauda de um cavalo.

Touro 03. Uma mulher de idade madura, rude, do campo, colhe belas uvas e as coloca em um cesto que já contem outras bonitas frutas, enquanto uma mulher idosa, de maneiras equívocas, se dissimula sob um véu.

Ou – Uma mulher velha semi-velada.

Touro 04. Um leão furioso, rugindo, estende uma pata para um archote em chamas que excita sua cólera, enquanto que uma espécie de Górgona, com semblante exaltado, maneja um chicote em um gesto desordenado.

Ou – Uma mulher segurando com a mão direita um chicote.

Touro 05. Um pomar com as árvores carregadas de frutas; na frente um campo onde pastam ovelhas próximas de um homem de ar bondoso, que corta lenha; sob um telheiro um boi esta deitado.

Ou – Um boi abaixa-se perto de sua manjedoura.

Touro 06. Uma sala de conferencia; um homem no apogeu de sua glória esta sobre o estrado, com um rolo de papel na mão e com a fronte cingida de louro; na beira do estrado esta um homem com três cabeças, olhando cada uma um lado diferente, significando a vasta inteligência do sujeito.

Ou – Um homem de três cabeças, estendendo a mão direita.

Touro 07. Um canto de parque onde pasta uma vaca domestica, enquanto que um pouco mais longe, uma bela e graciosa mulher se admira em um espelho de mão.

Ou – Uma bela mulher em pé.

Touro 08. De um rio acrescido pelas chuvas, um velho se esforça para retirar alguns ramos, enquanto sua mulher sentada em uma grande pedra olha sem ver, em torno dela, absorta por sua dificuldade.

Ou – Uma mulher triste, sentada sobre um monte de pedras.

Touro 09. Um homem corpulento, parecendo um bom menino e feliz, esta em pé no meio de seus animais domésticos, aos quais ele da grãos, ou que pastam em torno dele.

Ou – Um homem perseguindo diante dele ovelhas e cabras.

Touro 10. Em um campo um boi esta deitado ao sol e dois melros estão empoleirados sob seu dorso; um cão bonito brinca com duas alegres mulheres próximos de uma serpente.

Ou – Um cão brincando entre duas mulheres.

Touro 11. Um homem coroado esta sentado em um trono, em uma sala onde estão acumulados indicadores de grande riqueza; sobre um candelabro esta empoleirado um corvo que lança um olhar de inveja sobre o homem coroado.

Ou – Um corvo empoleirado.

Touro 12. Uma planta com uma bela flor de cor “laranja”, na qual estão pousadas duas borboletas batendo as asas, e próximo dela, duas mulheres, as mãos entrelaçadas.

Ou – Duas mulheres, as mãos entrelaçadas.

Touro 13. Um cão tendo um osso corre a toda velocidade para escapar de um outro cão que o persegue para lhe tomar seu osso, enquanto duas comadres se injuriam, prontas a se bater.

Ou – Duas mulheres que se batem.

Touro 14. Uma marcenaria modesta cuja porta esta totalmente aberta, mas o dono barra a entrada com um bastão, que mantém atravessado.

Ou – Um homem tendo um bastão atravessado.

Touro 15. Um homem de idade madura, pensativo, sentado a uma mesa sobre a qual repousam um grosso livro e instrumentos científicos, olha passar diante de sua janela um bando de sete íbis fugindo em voo rápido.

Ou – Sete íbis voando rapidamente.

Taurus 15

Touro 16. Uma mata a borda da qual se aventuram duas vacas brancas, sem se aperceberem que um tigre esta prestes a saltar sobre elas; e atrás de uma moita florida uma mulher inclina duas rosas, uma sobre a outra, uma clara e outra escura, que acaba de colher.

Ou – Uma mulher tendo uma rosa de ouro e uma rosa de prata, que inclina uma sobre a outra.

Touro 17. Em uma paisagem hostil corre um rio no qual um homem se obstina em nadar contra a corrente, enquanto sobre a margem, um touro preso a uma arvore faz esforços desesperados para reaver sua liberdade.

Ou – Um touro preso a uma arvore pelo meio do corpo.

Touro 18. Dois touros se precipitam com as cabeças abaixadas um contra o outro, enquanto que em outro canto da área da fazenda, dois bodes se defrontam com os chifres para frente.

Ou – Dois touros que se batem a golpes de cabeça.

Touro 19. Uma mulher levemente vestida esta deitada em um campo florido, enquanto na beira de um riacho uma das suas companheiras faz uma manobra de transvasar a água de um vaso em um outro.

Ou – Uma mulher transvasando água de um vaso em outro.

Touro 20. Em uma cozinha do campo: um corvo esta empoleirado em um pote de água, olhando dois cães que se mordem.

Ou – Dois cães que se mordem.

Touro 21. Uma coruja empoleirada sobre uma arvore espreita uma serpente enrolada em torno de um galho; abaixo, um urso se enfia sob uma mata, olhando de lado, mostrando os dentes.

Ou – Um urso olhando para trás dele e mostrando os dentes.

Touro 22. Um campo, no centro do qual se levanta uma bela arvore onde esta fixado um enxame de abelhas cujo voo contorna o cume; sob a arvore dois homens se estendem cordialmente as mãos.

Ou – Três homens que se seguram pelas mãos.

Touro 23. Um rei em seu trono, cercado por seus cortesões; mas atrás dele esta uma forma coberta de negro e na frente se vê um homem que cai de costas.

Ou – Um homem tombado sobre o dorso.

Touro 24. O leito seco de um rio no qual corvos procuram alguns restos de alimento que parece vir lhes disputar, um pobre homem, apoiado em uma cana que verga.

Ou – Um homem curvado, se apoiando em uma cana que verga.

Touro 25. Sobre um planalto um leão rasteja, prudente, mas não servil, diante de um homem em pé, dominador, apoiado em um solido cacete.

Ou – Um homem em pé, apoiado em um bastão.

Touro 26. Uma mulher loira, trazendo uma criança pela mão, colhe flores no campo, ao longo de um caminho no fim do qual um homem bondoso lhes estende a mão, para ajudá-las a transpor um vau.

Ou – Um homem em pé, a mão estendida.

Touro 27. Um alquimista trabalhando em seu laboratório, cadinhos, retortas, bocais de pólvora etc. Sobre a mesa um pedaço de ouro; pela janela se vê um campo ceifado, coberto de feixes de trigo.

Ou – Um campo coberto de feixes de trigo.

Touro 28. Sobre uma pequena elevação esta montado um pau-de-sebo, no qual um homem procura subir, enquanto sua imperícia diverte as crianças que o olham tentar e, perto deles, uma mulher de andar fatigado, avança, tendo um cavalo pela rédea.

Ou – Uma mulher puxando um cavalo pela rédea.

Touro 29. Um homem robusto, um chicote na mão, expulsa, adiante dele dois escravos acorrentados; e saindo do portal que ele acaba de transpor, uma mulher sem moderação, arrasta um bode pelos chifres.

Ou – Uma mulher arrastando um bode pelos chifres.

Touro 30. Sob um pórtico florido de uma bela casa, um homem vestido com roupas suntuosas, cercado de servidores e de cortesões, esta recostado em um leito de repouso. Um belo jardim se penetra no arredor.

Ou – Uma casa de uma rica arquitetura.

Gêmeos

Gemeos

Mandala de Gêmeos

Gêmeos 01. Duas crianças se segurando pelas mãos se aproximam de duas flores de lis amarelas crescendo perto de uma arvore espessa.

Ou – Dois homens que se seguram pelas mãos.

Gêmeos 02. Um homem escala um muro com auxilio de uma escada de cordas, tendo um punhal entre os dentes e uma arma de fogo ao seu lado, enquanto um militar puxa atrás dele dois prisioneiros.

Ou – Um homem armado arrastando dois homens nus.

Gêmeos 03. Um trovador em pé na borda de um rochedo escuta o ruído de uma cascata caindo a seus pés, e um outro, sentado na relva, toca lira.

Ou – Um homem tocando lira.

Gêmeos 04. Dois homens se batem em um bosque pela divisão de jóias e vestimentas suntuosas roubadas. Eles não veem que um terceiro ladrão os ameaça com sua atiradeira, para se apropriar só da presa; ele já tem jogado a seus pés um cinto cheio de ouro.

Ou – Um homem em pé e estendendo a mão a outro homem que se inclina.

Gêmeos 05. Um homem de aspecto digno e bom, vestido com um traje de ministro de estado, estende a mão a um delegado que se inclina respeitosamente diante dele.

Ou – Um homem segurando com a mão direita um cinto e com a esquerda uma atiradeira.

Gêmeos 06. A esquerda uma mulher de aparência amável tem um livro em uma mão e uma balança na outra; a direita um malabarista de corpo delgado e flexível faz malabarismos com destreza.

Ou – Um homem segurando com a mão direita uma balança.

Gêmeos 07. No vale um lago calmo, no qual nada um cisne que se aproxima de duas jovens que se seguram pelas mãos.

Ou – Duas jovens que se dão as mãos.

Gêmeos 08. É noite: um ferreiro bate uma barra de ferro rubro; na beira da forja sua mulher esta sentada, em uma posição ociosa, e sem se inquietar com as centelhas que atearam fogo a casa que arde.

Ou – Um ferreiro batendo ferro, e, perto dele, uma mulher ociosa.

Gêmeos 09. Um rei em seu trono, portando o cetro e o globo; e a rainha, portando os mesmos atributos.

Ou – Um rei sentado em seu trono, segurando com a mão direita uma esfera e com a esquerda um cetro.

Gêmeos 10. Uma mulher jovem pende maternalmente para uma criança uma bebida fresca, e sobre o caminho próximo, um homem jovem ajuda um velho a se levantar.

Ou – Um homem ajudando a levantar do solo um outro homem.

Gêmeos 11. Sob um rochedo um acampamento de ciganos sentados para tomar sua refeição, e acima deles uma águia plana próxima de seu ninho onde se vê três jovens aguiazinhas.

Ou – Uma águia voando acima de três aguiazinhas.

Gêmeos 12. Duas mulheres choram olhando um jovem loureiro quebrado pelo vento, do pé do qual se levanta um broto.

Ou – Duas mulheres em pé e chorando.

Gêmeos 13. Ao luar dois lobos devoram uma carcaça de animal, enquanto três corvos empoleirados aguardam seus restos.

Ou – Três corvos empoleirados lado a lado.

Gêmeos 14. Na noite, a sombra de um bosque, um homem mascarado está em pé, tendo a seus pés um cavalo morto, enquanto que um pouco mais longe duas raposas devoram galinhas que elas estrangularam.

Ou – Duas raposas devorando galinhas.

Gêmeos 15. Um homem sentado sobre seus calcanhares procura quebrar uma grande pedra com um pequeno martelo; ele está na borda de um rio cuja ponte foi construída não sobre a água, mas de lado, sobre uma das margens.

Ou – Um homem com sete cabeças.

Gemini 15

Gêmeos 16. Na floresta uma mulher leva um feixe de lenha; seus cabelos estão desordenados e flutuam ao vento; ela olha o solo tendo um ar de quem procura alguma coisa, e atrás dela, um pouco irreal, se vê um homem com duas cabeças, cada uma com expressão diferente.

Ou – Uma ponte construída ao lado da correnteza.

Gêmeos 17. Um homem sem mãos esta sentado diante de uma mesa sobre a qual estão colocados objetos diversos: belas frutas, belos livros. A seus pés um pote quebrado deixa esparramar sua água.

Ou – Um homem em pé e sem mãos.

Gêmeos 18. Uma raposa corre com todas as suas forcas, parecendo querer ir mais depressa que uma flecha que parte, lançada por uma mão anônima.

Ou – Uma raposa correndo com todas as suas forcas.

Gêmeos 19. Um pobre miserável toma seu caminho, andando corajosamente, ele abandona uma bela propriedade que se nota a silhueta; sua mulher cuja roupa guarda um resto de elegância tem pena de se afastar.

Ou – Um mendigo caminhando com seu alforje.

Gêmeos 20. Em uma paisagem um tanto inquietante, dois homens em roupas hípicas seguram cada um sua montaria pela rédea; um dos cavalos é branco, o outro escuro, e três serpentes partem de lado.

Ou – Três serpentes estendidas no solo.

Gêmeos 21. Um homem jovem sentado despreocupadamente sobre seu cavalo estende um recipiente a outro homem jovem, indiferente e rico, que procura jogar habilmente moedas, sendo que algumas estão caídas no solo.

Ou – Um homem sentado de lado sobre um cavalo.

Gêmeos 22. Uma mulher jovem esta recostada sob uma árvore e dá de comer a aves esparsas, familiarmente em torno dela.

Ou – Duas aves gorjeando sobre um mesmo ramo.

Gêmeos 23. Em uma extensão deserta, um homem decrepto, curvado, arrastando a perna, se sustentando sobre um bastão, deixa atrás dele um grande velho carvalho, retalhado, descascado pelas tempestades.

Ou – Um homem decrepto, se arrastando sobre um bastão.

Gêmeos 24. Em um jardim, duas mulheres sentadas em um banco conversam tranquilamente, enquanto que em torno delas um bando de pardais pipilam, se rolam na poeira, alisam suas penas, ou pousam sobre o encosto do banco.

Ou – Duas mulheres sentadas e conversando.

Gêmeos 25. Cercado por seus livros familiares, um homem de idade esta sentado a sua mesa de trabalho, lendo ou refletindo.

Ou – Um homem tendo um livro aberto.

Gêmeos 26. Na praça de um mercado, comerciantes e compradores são igualmente nervosos; cães se mordem, e dois homens discutem, batendo o solo com seus bastões, para afirmar suas opiniões.

Ou – Dois cães que se mordem.

Gêmeos 27. Um homem jovem e uma mulher jovem choram, sentados sobre rochedos a beira do mar.

Ou – Uma mulher em pé chorando.

Gêmeos 28. Um semeador avança, só, semeando seu grão em uma terra bem trabalhada.

Ou – Dois touros de tamanhos diferentes.

Gêmeos 29. Um céu triste, com nuvens em fuga; uma revoada de corvos voando contra o vento, e três cães correndo em sentidos diferentes.

Ou – Três cães que correm em sentidos contrários.

Gêmeos 30. Em uma ala solitária de um bosque, dois homens conduzem, cada um, um cão preso, se vigiando sem dar a impressão, e um lobo segue sem ruído um cordeiro.

Ou – Dois homens que conduzem, cada um, um cão.

Câncer

Cancer

Mandala de Câncer

Câncer 01. A colheita da parreira em família.

Ou – Um homem e uma mulher se segurando pelas mãos.

Câncer 02. Um cão bem nutrido defende um osso contra dois cães famintos; e uma mulher caminha despreocupadamente diante de um homem indeciso que hesita em segui-la.

Ou – Duas mulheres em pé, imóveis, face a face.

Câncer 03. Uma mulher esta sentada aparentando estar sofrendo, tendo na mão um maço de flores murchas; dois homens em pé a olham: um com ar malicioso, o outro com compaixão.

Ou – Dois homens em pé diante de duas mulheres sentadas.

Câncer 04. Uma mesa de banquete e instrumentos musicais abandonados pelos convivas que se perseguem lascivamente.

Ou – Uma mulher em pé, imóvel, esperando um homem.

Câncer 05. Uma árvore jovem que o vento soltou de seu suporte cresce obliquamente; sob seus ramos uma jovem espera seu namorado que foge sem ser visto.

Ou – Uma jovem em pé, esperando um homem.

Câncer 06. Um homem avança puxando atrás dele um cavalo semi-estrangulado pelo laço que lhe aperta o pescoço; atrás deles, uma manopla de ferro, um sabre e um chicote estão colocados junto a um tronco de arvore.

Ou – Um homem mergulhando uma cabra em uma caldeira.

Câncer 07. Uma mulher rica, sentada sob uma pérgola florida, distribui joias caras a mendigos que se mostram risonhos, aqueles que já receberam, enquanto que um homem vestido de arlequim, os cabelos desordenados, procura mergulhar um cordeiro vivo em uma caldeira fumegante.

Ou – Um homem puxando uma cabra com seu cinto.

Câncer 08. Uma mulher jovem se esconde atrás de uma coluna de um Templo de Amor, olhando uma serpente que se prepara para se precipitar sobre uma ave no chão.

Ou – Uma mulher em pé, semi-escondida atrás de uma casa.

Câncer 09. Uma mulher jovem em costume regional fia enquanto passeia nos caminhos de sua agradável aldeia.

Ou – Uma mulher segurando com a mão direita um fuso.

Câncer 10. Um bonito carvalho cobre uma grande extensão de um campo sobre o qual se vê ainda numerosos feixes de trigo, onde um ser, um tanto simbólico, apalpa sorrindo as espigas bem cheias.

Ou – Um homem segurando com a mão direita uma cesta e, com a outra, semeando grão.

Câncer 11. Sob uma chuva forte e mar tempestuoso, se vê no litoral um navio naufragado, enquanto que no mar um outro barco parece desamparado.

Ou – Um navio imóvel sobre as águas.

Câncer 12. Como que projetado no céu, um Caduceu colocado entre duas luas; aquela em crescente ilumina fracamente, enquanto a outra, estando perto de sua plenitude, lança uma bela claridade.

Ou – Uma criança sentada, tendo um livro aberto e uma pena.

Câncer 13. De uma mata se vê emergir um homem robusto, de ar feroz e um pouco triste, levando atravessado em seus ombros uma ovelha degolada cujo sangue goteja ainda, e dissimulado próximo de uma pedra um punhal está colocado junto de uma cabeça cortada.

Ou – Um homem levando nos ombros uma ovelha degolada.

Câncer 14. Em um céu sereno uma estrela magnífica ilumina um canteiro de flores, junto das quais um cordeiro deitado porta uma coroa ornada também com uma estrela.

Ou – Um cordeiro levando sobre sua cabeça uma coroa de ouro.

Câncer 15. Dois tronos sob seus dosséis; sobre um, um cão muito ordinário esta dormindo, e sobre o outro, um gordo rato coroado esta a espreita.

Ou – Um rato coroado se agacha sobre um teto.

Cancer 15

Câncer 16. Um novo Sansão ameaça abalar as colunas de um templo; a seus pés sobre uma escada esta um leão morto, e mais abaixo, um ouriço coloca sua pequena pata sobre uma serpente morta.

Ou – Uma ave tendo uma serpente sob seus pés.

Câncer 17. Sob um céu noturno sulcado por relâmpagos, um homem caminha sem medo, com os olhos fixos em um clarão azul, não vendo uma mulher sentada ao pé de uma árvore, que aperta em gesto receoso, suas roupas em torno dela.

Ou – Uma mulher em pé, imóvel.

Câncer 18. Móveis, objetos e flores exóticas cercam um homem e duas mulheres jogando dados.

Ou – Duas mulheres jogando dados.

Câncer 19. Sobre um estrado, cercado por colunas nas quais figuram atributos alternativamente guerreiros e musicais, um homem está em pé, tendo em uma mão uma lança e na outra uma flauta; ao lado dele: uma manopla de armadura e um violino.

Ou – Um homem tendo na mão direita uma lança e na outra uma flauta.

Câncer 20. Um homem vestindo uma libré monta um cavalo de raça e se prepara para sair de uma rica propriedade, onde perto da saída, um cão monta guarda, sentado sobre uma carreta e olhando amigavelmente o cavalo.

Ou – Um cão sentado sobre uma carreta.

Câncer 21. Uma lua decrescente no meio das nuvens ilumina fracamente sobre o mar um navio desmastreado, e na areia da praia um carro vazio que começa a se afundar.

Ou – Um carro vazio.

Câncer 22. Um homem esta em pé no cume de uma montanha, um bastão de comando na mão, tendo o rosto iluminado pelo sol poente, que parece olhar de frente, sem ver a torrente de águas tumultuosas que borbota até a planície.

Ou – Um homem em pé, imóvel.

Câncer 23. Um homem boceja se espreguiçando, prestes a se deixar cair sobre um companheiro adormecido ao sol, suas ferramentas e instrumentos de trabalho estão abandonados no chão, onde gatunos os roubam.

Ou – Uma queda d’água.

Câncer 24. Sobre as muralhas de um castelo-fortaleza flutua uma bandeira ornada com uma coroa real, enquanto que embaixo, cavalos bufam alegremente, saltando um sobre o outro.

Ou – Um cavalo saltando sobre um outro.

Câncer 25. Nas areias de um deserto, um cavaleiro bem armado avança calmamente para o oásis, enquanto que um cavalo livre corre, crina ao vento, sem saber para onde vai.

Ou – Um cavalo sem freios, correndo através do campo.

Câncer 26. Fenômenos no céu: meteoros, estrelas cadentes; e as águas de cascatas tombando de um rochedo.

Ou – Uma cascata tombando de um rochedo.

Câncer 27. Um homem passa o bridão em seu cavalo, e uma novilha pende docemente sua cabeça para a mulher que a conduz.

Ou – Um cavalo arreado, imóvel.

Câncer 28. Dois amigos estão em contemplação diante de uma vasta paisagem, sentados sob uma arvore, dominados por um corvo meditativo empoleirado sobre um galho.

Ou – Dois homens sentados sob uma arvore, olhando um corvo empoleirado.

Câncer 29. No matagal um homem está pendurado em uma corda frouxa que não o estrangula completamente, e um tigre se aproxima rastejando de um cavalo amarrado a uma arvore.

Ou – Um homem pendurado em uma forca.

Câncer 30. Um cavalo jovem trota arrastando seu cabresto, e levantando muito alto a cabeça ele não vê a cerca que limita seu curso em direção ao mar, no qual se nota um barco que se afasta.

Ou – Um barco flutuando na água.

Leão

Leão

Mandala de Leão

Leão 01. Um leão em pé sobre um rochedo olhando o Sol levante, enquanto em gesto de desafio um homem lhe mostra uma cabeça de leão cortada.

Ou – Um homem tendo na mão direita uma cabeça de leão.

Leão 02. Um navio ao longo do qual se elevam bandeirinhas, daquelas empregadas pelos marinheiros para conhecer a direção do vento, e que flutuam em direções diversas, e mais ao largo, uma outra embarcação que se inclina sobre o flanco.

Ou – Um navio deitado de lado, no meio das ondas.

Leão 03. Um homem triste esta sentado em um banquinho, em frente de uma vaga luz nebulosa obscurecida por uma nuvem negra.

Ou – Um homem triste, sentado em um banquinho.

Leão 04. Na beira de uma lagoa, um gato em posição de espera olha ardentemente um peixe nadando entre as águas.

Ou – Um peixe flutuando entre as águas.

Leão 05. Uma serpente rodeia o pé de uma arvore com suas voltas, cabeça levantada, pronta a morder! Enquanto que uma de suas congêneres se arrasta na relva.

Ou – Uma serpente que se arrasta na terra.

Leão 06. Um homem em traje de esgrimista, mas sem mascara, tem na mão uma espada desembainhada, da qual testa a flexibilidade; no solo dois sabres e uma manopla de ferro de onde sai traiçoeiramente um punhal.

Ou – Um homem tendo na mão direita um gládio desembainhado.

Leão 07. Um homem está sentado no dorso de um leão, tendo na mão um cetro na ponta do qual um diamante cintila como uma estrela.

Ou – Um homem a cavalo sobre um leão.

Leão 08. Um fogo de onde se elevam altas chamas iluminando no meio de uma aureola um triangulo ladeado por chamas curtas e tendo um olho em seu centro.

Ou – Uma lareira de onde se eleva uma grande chama.

Leão 09. Um belo castelo cercado por jardins e terraços; no primeiro plano, um pavão abre a cauda próximo de um cavalheiro ricamente vestido.

Ou – Um homem ricamente vestido.

Leão 10. Em um resto de galho de um grande carvalho quebrado pela tempestade, pende um esqueleto, e diante dele o Tempo armado com sua foice permanece imóvel, perplexo porque sua ação mortífera chega muito tarde.

Ou – Um esqueleto armado com uma foice.

Leão 11. Duas mulheres em trajes leves estendem suas taças para serem enchidas a um homem sentado diante de uma mesa suntuosamente e abundantemente guarnecida.

Ou – Uma mulher de pé, descobrindo seu colo.

Leão 12. Um belo Touro branco pasta solto próximo de uma mulher que lê tranquilamente.

Ou – Uma bela mulher, ricamente vestida.

Leão 13. Um touro está em pé sobre um rochedo, em uma posição conquistadora; nos interstícios do rochedo, alguns talos de vegetação se esforçam para crescer.

Ou – Um touro em pé em uma pastagem.

Leão 14. Um homem, de aparência estúpida, olha uma roda quebrada que a vegetação cobre pouco a pouco, enquanto ao lado seu cavalo pasta tranquilamente.

Ou – Um homem em pé, imóvel.

Leão 15. Duas mãos ligadas por um aperto de mãos sobre um homem e uma mulher que se seguram pelas mãos.

Ou – Um leão deitado na vegetação.

Leo 15

Leão 16. Sobre um planalto árido, um belo carneiro esgaravata raivosamente a terra, e abaixo, preso a uma arvore, um asno arreado escoiceia violentamente.

Ou – Um asno com rédeas e que escoiceia.

Leão 17. Próximo de um oásis, um homem branco, vestido de árabe, monta um camelo ricamente paramentado; ele esta acompanhado por seu criado e por uma caravana.

Ou – Um camelo em pé.

Leão 18. Um espelho no qual se refletem os raios do Sol e, sobre uma mesa, esta colocada uma chave com quatro dentes.

Ou – Uma chave cuja parte que gira tem quatro dentes.

Leão 19. Um homem a pé luta contra o vento, em lugar de montar seu cavalo, que seu criado puxa pelo bridão, o que lhe permitiria avançar mais rápido.

Ou – Um homem puxando um cavalo pelo bridão.

Leão 20. A Lua em seu primeiro quarto, acompanhada de uma estrela; de uma bela árvore florida mostrando seus ramos, saem um antebraço e uma mão que segura um rolo de papiro semi-desenrolado sob os raios lunares.

Ou – Uma mão segurando um rolo de papiro desdobrado.

Leão 21. Uma face lunar, sobremontada por uma serpente enrolada. Um homem emergindo de uma nevoa as observa, uma mão levantada de lado, e a outra segurando uma chave.

Ou – Um homem tendo uma chave.

Leão 22. No ramo de uma arvore morta, um ninho onde jovens avezinhas gritam vendo um gavião planar acima delas; enquanto na cabana vizinha se nota um leito no qual deita um homem doente.

Ou – Um homem deitado em um leito, com a cabeça tombada.

Leão 23. Um homem com duas cabeças, olhando para trás dele, está em pé na beira de um lago, clareado por uma brilhante estrela que se reflete na água.

Ou – Um homem com duas cabeças, e olhando por sua vez para diante e para trás dele.

Leão 24. Um homem ataca uma grossa arvore com seu machado, enquanto que outro homem começa a serrar um galho derrubado.

Ou – Um homem tendo na mão direita uma serra.

Leão 25. Uma bela floresta atrás de um campo onde um homem trabalha com a ajuda de dois bois sólidos e dóceis.

Ou – Um homem que nada em ondas agitadas.

Leão 26. Um homem nada corajosamente nas ondas agitadas, procurando ganhar a margem, na areia da qual se vê um triangulo invertido, uma ponta para baixo.

Ou – Um homem que corta lenha.

Leão 27. Na terra um punhal de dois gumes, e uma foice, em pé, enfiada no solo.

Ou – Um homem segurando com a mão direita uma foice.

Leão 28. No campo uma bonita mulher passeia entre dois homens; acima deles flutuam dois círculos de ouro ligados por uma fita azul cujas pontas parecem enquadrar o grupo.

Ou – Três homens passeando.

Leão 29. O anjo do Sol, Gabriel, bate a terra com a ponta de sua espada, fazendo brotar centelhas diante de um leão deitado, a cabeça alta, e portando uma espécie de arreio suntuoso.

Ou – Um homem e uma mulher se segurando pelas mãos.

Leão 30. Um cão faminto chora e treme diante de um homem sentado de lado sobre um cavalo.

Ou – Um homem sentado de lado sobre um cavalo.

Virgem

Virgem

Mandala de Virgem

Virgem 01. Uma festa de camponeses em costumes de gala, no gramado de um parque, cujo castelão e castela, tacas na mão, se associam a alegria geral.

Ou – Uma mulher ricamente vestida, a mesa, e levando um copo aos lábios.

Virgem 02. Uma rocha solitária no meio de um deserto de areia, sobre a qual uma mulher e um homem estão sentados lado a lado.

Ou – Duas mulheres sentadas, imóveis.

Virgem 03. Um sábio está em seu laboratório ocupado em ensaiar produtos químicos e, pela janela, se percebe um homem que deixa cair um pó sobre o trigo acumulado em grãos.

Ou – Um homem semeando trigo em um campo.

Virgem 04. Um homem jovem conduz o arado em um campo que cultiva e, no afastar do tempo, se o vê idoso, percorrendo seu campo de trigo maduro.

Ou – Um homem conduzindo o arado.

Virgem 05. Uma águia sobre seu ninho se levanta como que para alçar voo, e, abaixo dela se vê um homem com botas e capacete, tendo a seus pés acessórios diversos: escada de corda, remos, espada e polindo a placa de um cinturão.

Ou – Uma águia em repouso.

Virgem 06. Um homem e uma mulher de aspecto um tanto livre, jogam cartas; sobre a mesa refrescos abundantes; uma amiga instiga um pequeno cão; o conjunto é alegre.

Ou – Uma bela mulher, ricamente vestida, em pé, imóvel.

Virgem 07. Uma mulher pobremente vestida se retrai para deixar passar uma mulher arrogante, cheia de penachos, que caminha para um homem e uma mulher que estão dorso a dorso contra um poste.

Ou – Uma mulher pobremente vestida, em pé, imóvel.

Virgem 08. Uma parte da floresta a beira da qual um homem está sentado no solo, olhando a paisagem.

Ou – Um homem sentado sob uma árvore.

Virgem 09. Nas duas extremidades de uma mesa, um homem e uma mulher mascarados estão em pé: a mulher protege com a mão uma bolsa e sacos de dinheiro, e o homem em um gesto de furto estende a mão para uma vasilha com belas frutas.

Ou – Uma mulher com o rosto empurpurado, ricamente vestida, em pé, imóvel.

Virgem 10. A borda de um charco estagnado, coberto de juncos, uma mulher cheia de corpo, animada, faz gestos desordenados diante de outra mulher relaxadamente recostada que zomba dessa agitação.

Ou – Um homem ricamente vestido, em pé, imóvel, tendo uma maça na mão.

Virgem 11. Um homem montado em um cavalo branco, correndo a toda velocidade, estende o braço para a frente, o indicador em riste em um gesto de comando.

Ou – Um cavalo branco, selado, correndo a toda velocidade.

Virgem 12. Uma mulher e um homem, os olhos vendados, se deixam levar por um amor adolescente: a mulher está coberta de joias e o homem leva um cinto recheado de ouro. Eles são seguidos por dois ladrões, um negro, que vai jogar sobre eles um laço, e um branco, que delineia o gesto de lhes torcer o pescoço.

Ou – Um homem de cara negra, vestido de vermelho.

Virgem 13. Um campo de flores, iluminado pela Lua cheia; um curso d’água o atravessa, e um homem e uma mulher colhem essas flores noturnas, favoráveis aos humanos.

Ou – Duas mulheres colhendo rosas.

Virgem 14. Um boi puxa um pesado tronco de arvore e, atrás dele, um homem ataca com a picareta o rochedo que limita o horizonte.

Ou – Um boi em pé em um campo.

Virgem 15. Uma mulher acaricia duas rolinhas pousadas em seu peito, olhando, sob uma espécie de templo do amor, dois adolescentes, os braços passados em torno do pescoço e com as cabeças inclinadas uma para a outra.

Ou – Duas mulheres em pé e se acariciando.

Virgo 15

Virgem 16. Um velho elegante, em sua bonita casa de campo, colhe belas uvas da parreira que sobe ao longo da fachada.

Ou – Dois cães correndo de frente.

Virgem 17. Em uma praça publica decorada como em dia de festa, dois cães parecem disputar uma prova de velocidade; e homens sentados em torno de uma mesa discutem com animação.

Ou – Um cercado guarnecido com estacas.

Virgem 18. Sob uma árvore que estende ao longe seus ramos, um velho, cercado de crianças alegres, as olha brincar com um ar feliz.

Ou – Uma árvore estende ao longe seus ramos.

Virgem 19. Uma praça de feira na frente da qual discutem com ar finório um fazendeiro com um mercador de animais.

Ou – Um homem sentado de lado sobre um cavalo.

Virgem 20. Dois homens duelam a espada, enquanto um terceiro, mascarado, os observa por cima de uma cerca de arbustos, abaixo da qual um gavião persegue um rato.

Ou – Uma ave perseguindo um rato.

Virgem 21. Uma espécie de entreposto de comissário de mercadorias; próximo da caixa, o patrão em pé tem em uma mão uma bolsa arredondada, e olha as moedas de prata expostas em sua outra mão.

Ou – Um homem em pé, tendo ouro em uma de suas mãos abertas, e prata na outra.

Virgem 22. Uma mulher seminua, coroada de flores, cabelos ao vento, dança se inclinando sobre um espelho d’água, enquanto que um pouco mais longe, uma cortesã faz provocações a um bode.

Ou – Uma mulher nua, levando um bode nos ombros.

Virgem 23. Um belo navio, todas as velas defraudadas, corta as ondas docemente agitadas.

Ou – Um homem em um barco.

Virgem 24. Um homem está deitado sobre um rochedo isolado; com a mão em leque acima dos olhos, olha abaixo dele um pato selvagem que faz esforços desesperados para se libertar do laço no qual ele se prendeu o pescoço.

Ou – Um pato selvagem preso pelo pescoço a um pilar.

Virgem 25. Em um belo jardim duas mulheres passeiam, inclinadas uma em direção a outra, fazendo confidencias, e, a seus pés, um pombo e sua pomba se agradam.

Ou – Um homem lançando pedras com uma atiradeira.

Virgem 26. Um arqueiro lança uma pedra com ajuda de uma atiradeira e, diante dele, colocadas no solo, estão duas espadas cruzadas, sobremontadas por uma coroa real.

Ou – Dois homens conversando simultaneamente.

Virgem 27. Uma oficina de marceneiro: bancada sobre a qual se vê numerosas ferramentas em mau estado, e, em uma extremidade, o patrão com os braços balançando e com um ar triste, enquanto um trabalhador, com ar radiante, agarra a outra extremidade da bancada e parece arrasta-la para ele.

Ou – Dois homens em pé, imóveis.

Virgem 28. Um gramado cercado de roseiras onde pipilam e ciscam numerosos pássaros, e ao lado uma bela laranjeira carregada de frutos.

Ou – Pássaros pousados em terra, e outros que voam.

Virgem 29. Em uma porta balcão de um palácio episcopal, um cardeal, em pé, olha cair a chuva sobre as verduras circunvizinhas; sua mão esquerda está ornamentada com seu anel de ametista.

Ou – Chuva fina caindo sobre a grama.

Virgem 30. Em um quarto um homem esta em pé, a cabeça recoberta com um véu com quatro pontas que lhe encobre a claridade do dia ensolarado; e um outro homem, sem boca e sem orelhas, delineia com seus dedos as letras do alfabeto dos surdos-mudos.

Os Graus Simbólicos do Zodíaco II

Zero Degree