Astrologia e Astrólogos

A Astrologia por Fraz Hartman

Franz Hartman

1838-1912

A Ciência da Astrologia é baseada sobre o correto entendimento da verdadeira natureza do homem e sua posição no Universo.

Do grande depósito da natureza, nos 4 elementos originais e invisíveis, provém a sua forma visível e tangível; estes elementos são denominados de: Terra, Água, Fogo, e Ar (essências sólidas, fluídicas e gasosas, calor, eletricidade, vida e etc.), é por meios deles, num processo fisiológico que a sua forma visível sofre transformações de tais substancias e atividades como requerida pela natureza de seu organismo. Estes processos são realizados sem a supervisão intelectual do homem.

Tudo isso ninguém negará; porque nós vemos a comida que nós comemos e a água que nós bebemos; nós sabemos da existência do ar que nós inalamos, e nós sentimos o calor que esquenta o nosso corpo. Estas coisas não são criações nossas, a natureza prepara isto para nós; empresta isto para nós, e depois que nós fazemos uso do que nos emprestaram, nós devolvemos a natureza.

Ocorre o mesmo processo, com os sutis princípios que estão na invisível alma humana. Nós não criamos nossas próprias opiniões, mas as idéias puras, a forma permanente e indivisível e incorporal do ideal, já existe na Luz Astral, que reflete sua imagem na mente individual do homem e da mulher, da mesma forma que uma paisagem pode ser refletida em um espelho, ou todo céu estrelado sendo refletido numa gota de água pura. Esta imagem pode ingressar na consciência do homem sem nenhum esforço voluntário de parte dele, da mesma forma que ao respirar o ar entra nos pulmões mesmo sem que ocorra esforço consciente do homem. Eles (princípios sutis ou pensamentos) podem vir a sua mente inclusive sem o seu desejo; é de lá que vêm os pensamentos não desejados, e há os desejados difícil de retermos. Os animais só tem pensamentos que vêm as suas mentes sem qualquer esforço; mas o homem tem o poder para ascender voluntariamente em pensamento ao reino de idéias e agarrar as imagens que ele deseja, e então é dito que o homem não precisa ser governado pelas estrelas, mas que ele pode ser superior a elas.

As idéias que vêm a sua imaginação, pelo ato de sua consciência, e a reação que sua imaginação provoca sobre sua vontade causam certos estados assim produzidos de sentimentos ou emoções e de acordo com a natureza da idéia, formam a paixão mais grosseira e vulgar até o estado mais elevado de pensamento. Como a comida que se come determina o estado de pureza ou impureza do seu organismo físico, tão igualmente os pensamentos que se abriga, e os sentimentos nos quais se favorece, determine a pureza ou impureza de sua alma.

O homem não cria os seus pensamentos; mas ele os elabora conforme as idéias que ele absorve, da mesma forma como o corpo físico elabora da comida que comemos o sangue, a carne e os ossos. Igualmente a mente do homem combina e misturas idéias, e as infunde com vida, pelo poder de sua vontade; bem como um corpo doente pode contaminar a atmosfera circunvizinha por sua influência insalubre, também as emanações de uma mente impura envenenam a atmosfera mental com os produtos de sua imaginação impura criada por sua má intenção; a vontade é um poder real, capaz de tornar reais e significativos os frutos de nossos pensamentos, mesmo que estes sejam totalmente impossíveis a nossa limitada visão, podemos desta forma agir até onde os nossos pensamentos nos levarem.

Como a Lua sem a luz do Sol é escura, igualmente as imagens produzidas pela imaginação não têm nenhum poder a menos que elas sejam fortalecidas pela vontade; a vontade é inútil, a menos que seja guiada e trazida a forma pela ação da imaginação. Se a imaginação e a vontade estão divididas, ambas serão ineficazes; mas se a imaginação e a vontade estão em harmonia, elas serão efetivas; então elas constituem uma Unidade, e esta unidade é chamada de “Espírito.”

De acordo com as afirmações dos Sábios, todas as coisas no universo são produtos da Vontade e da Imaginação agindo em harmonia, e, então todas as coisas são produzidas pelo Espírito, o Espírito é a Realidade; e o que nós chamamos de forma material somente é a sombra da luz do Ideal divino. O que nós chamamos de “matéria” é a mesma coisa que o “Espírito”, só que em um estado inerte ou condensado, enquanto que as vibrações do Espírito estão muito mais elevadas que as materiais. É necessário transcender a nossa percepção física, para assim perceber as do Espírito, da mesma forma que algumas vibrações do som possuem uma freqüência muito elevada que são incapazes de serem ouvidas por nossa audição externa, e algumas variações de cores muito sensíveis, que são incapazes de serem percebidas por nossos olhos externos. Nós somos espíritos, mesmo que externamente revestidos por uma forma material, nós vivemos no mundo espiritual, nós moramos em um mundo espiritual; somos cercados e permeados pelo espírito. Nós somos continuamente influenciados por forças espirituais que agem em nós, com ou sem, nosso consentimento, e nós não temos nenhum outro meio de nos protegermos, exceto pela Razão e Vontade. O Homem é um pequeno mundo no qual podem ser refletidos todas as forças celestiais e terrestres e princípios que existem no grande universo, e na percepção desta verdade descansa a Ciência da Astrologia.

Em todos os lugares, nas Leis que regem o universo um mesmo princípio é fundamental; o que tudo é governado pela ordem e a harmonia. Os planetas giram nas suas órbitas com uma precisão matemática, e cada ser humano possui a sua órbita a qual deve seguir. Um homem pode oscilar à direita ou a esquerda em sua órbita, mas ele não pode deixar a linha do seu destino, que é o resultado de causas produzida em estados prévios de existência. Há oscilações nas marés do mar e há oscilações nas marés no oceano de pensamento. Há conjunções e oposições nas influências espirituais no mundo das idéias, como existem entre os planetas. Há momentos nos quais todo o gênero humano se eleva a um estado mais alto de esclarecimento espiritual, e assim aproximando mais de Deus; e há outros momentos nos quais a humanidade afunda-se mais profundamente na ignorância e na superstição.

Observação

O Século XX, apesar de ter sido um grande passo na evolução tecnológica do homem, está profundamente mergulhado na ignorância e na superstição. As últimas décadas deste século foram particularmente desesperadoras em termos de estupidez e ignorância. Esta atual “Era das Trevas” em que vivemos ainda está longe de terminar. O desenvolvimento tecnológico ainda marcará períodos de imensa escuridão na alma humana. Nosso equivocado “positivismo científico” continuará tateando como topeira os recantos do universo em busca de vida inteligente e, destarte, o milagre do capitalismo acabará se dissolvendo nas águas universais de Netuno como o socialismo, outrora, assistiu à sua desilusão.

Antes da transição de nossa atual Era de Peixes para a Era de Aquário, que se inicia astronomicamente em torno de 2.150 do calendário gregoriano, serão poucas as luzes espirituais que este mundo conseguirá vislumbrar. As sombras que obscurecem a “Alma Humana” se adensam. A catarse que se aproxima é um estágio inerente e inevitável a todo processo de purificação que existe na natureza, ou seja, a ameaça da extinção da raça humana precede o recomeço de uma nova Era de Luz, provavelmente após as convergências astronômicas dos primeiros séculos da nova era.

Aos esotéricos de plantão que ficam atentos aos escatológicos prenúncios do final dos tempos ficará uma imensa saudade do fim do mundo que não acontecerá. Aos materialistas imbecis que gozam do trunfo de suas riquezas restará a escuridão da alma no pós-morte, fruto de uma ignorância crônica. Aos que estão lúcidos e conscientes das sombras que envolvem nosso mundo, neste momento, caberá um enorme esforço no sentido de purificarem seus corpos diante de um processo globalizado da deterioração da sabedoria em virtude da massificação da estupidez.

César Augusto – Astrólogo

Se as regras matemáticas que governam o reino das idéias fossem bem conhecidas como aquelas regras que regulam as revoluções dos planetas visíveis, haveria pouca dificuldade em predizer pensamentos futuros e eventos externos que de lá resultam, tão bem como é previsto um eclipse lunar. Enquanto a mente humana for muito cativada pelas impressões sensuais externas em vez das coisas que pertencem ao espírito das coisas, suas deduções e conclusões serão incertas. Enquanto sua imaginação for cativada e seu desejo inflamado pelo fogo do Plano Astral, os pensamentos e aspirações não penetrarão na pura região de Verdade.

Porém, há um conhecimento mais alto que o da mente especulativa; é o conhecimento da alma, se não houvesse nada que atrapalhasse a livre comunicação do intelecto com a Alma, o homem poderia saber muitas coisas que agora parecem estar além do alcance do seu conhecimento.

Mas está escrito, que “Aqueles que desejam viver do altar têm que servir ao altar”, esta expressão pretende dizer, que aqueles que desejam saber e ser vivificados pela verdade têm que servir a verdade amando-a com todo o coração, manifestando o amor em pensamentos, palavra, e ações. Aqueles que desejam o conhecimento espiritual, e obter o poder de predizer eventos futuros, deve acima de tudo buscar a verdade dentro de suas próprias almas. Deveriam por de lado as paixões e desejos do mal, e os seus preconceitos científicos, sociais, e religiosos, e os erros que foram inculcados nas suas mentes por uma falsa educação, recebida numa era de tão bem conhecida como racionalista, na qual há apenas uma pouca compreensão das coisas espirituais; quando o Sol da Divina Sabedoria foi obscurecido pela sombra de ilusão do intelecto semi-animal especulativo, e quando a voz da intuição foi sufocada no barulho feito pelo clamor da convencida ignorância que assume o lugar de ciência.

Felizmente os dias da Cacosofia estão chegando ao seu fim, e a humanidade está como um todo novamente se aproximado do zênite solar. Possa todos os amantes da verdade fazerem uso desta oportunidade para desfrutar toda a luz na qual eles são capazes de receber, antes que o planeta, seguindo a lei de ordem, desça novamente na sombra da Lua.

Os princípios nos quais a Astrologia é baseada, não podem ser completamente entendidos, a menos que a natureza dos “planetas” seja compreendida; mas esta realização não será o produto da leitura de um livro, e nenhuma pessoa poderá dar a outra este conhecimento ou o poder que ela não possui; permanecerá inacessível ao questionador, e só pode ser adquirido pela fé; que quer dizer, pelo despertar interior do Espírito da Verdade.

Os Setes Planetas

Os Antigos reconheciam a presença de sete diferentes estados do Espírito universal, que constitui a alma de todas as coisas, bem como de todos os corpos físicos, e eles davam para esses sete princípios os seguintes nomes e símbolos, que são também estes dos “setes planetas” e dos setes dias da semana.

Saturno – Sábado

Sol – Domingo

Lua – Segunda-feira

Marte – Terça-feira

Mercúrio – Quarta-feira

Júpiter – Quinta-feira

Vênus – Sexta-feira

É desnecessário dizer que estes setes planetas tem pequena ou nenhuma relação com os setes corpos cósmicos do nosso sistema solar embora levem os mesmos nomes; embora os planetas possam ser considerados até certo ponto como os seus representantes externos e visíveis, os seus princípios são invisíveis, e não só regem o nosso sistema solar como também todo o universo, o Macrocosmos; e também regem a constituição interna do Microcosmo, o Homem. Os seus significados diferem de acordo com os aspectos que nós levamos em consideração. Em geral, eles podem ser denominados como relacionado abaixo:

Sol

O Sol é o emblema da sabedoria, nele estão os poderes de todos os outros planetas reunidos, nele está o amor, a vontade, e a inteligência combinadas em um; com o mesmo sentido como nos quatro lados da pirâmide, todos culminando num só e único ponto. O sol é o centro e a fonte de toda a luz, mas da luz da inteligência, não somente do calor terrestre, mas do calor do amor. Ele atrai com seu poder todos os planetas no espaço e sustenta com isso suas órbitas. Aqueles em que estão sobre as influências do Sol, são fortes, são capazes de tornam-se sábios, fortes e poderosos. E é por isto que se diz que o Sol é o planeta que governa a Alma dos Reis e nobres, conferindo honra, poder e títulos. Esta influência é decisiva em todas as questões importantes da vida humana. No reino mineral é representado pelo Ouro; no reino animal pelo Leão, no reino espiritual por SOL-OM-ON, o Sol divino da Sabedoria.

Lua

A lua é o símbolo da imaginação, ilusões, e sonhos. Ela não possui luz própria, mas toma sua luz do Sol. Sem a luz do Sol, a lua seria fria e escura, sem o poder da vontade, o produto da imaginação não tem vida. A idéia torna-se poderosa somente quando ele é impregnada pela vontade, ela torna luminosa somente quando ela é iluminada pelo amor; ele pode ser sábio somente se for permeado pela sabedoria. Sobre a influência da Lua estão especialmente os sonhadores e os médiuns, pessoas que vivem em grande parte no reino da imaginação e fantasia. Damas da sociedade, pessoas que buscam o prazer e viajantes. Ela governa coisas que possuem pouca estabilidade e firmeza, especialmente as águas e os navios. No reino mineral a Lua é representada pela Prata, no reino espiritual por Luna, a Rainha da Noite.

Mercúrio

Mercúrio representa o intelecto, e este pode ser um bom ou mal planeta de acordo com as condições com qual se relaciona.

Se Mercúrio está sob a influência de Saturno; o que isto quer dizer, se o intelecto é servil a coisas egoístas e materiais, torna-se uma fonte do mal; se combinado com Júpiter, este produzirá orgulho; se unido com o amor (Vênus), este ficará sábio, e desta maneira mercúrio pode ser transformado no ouro de sabedoria.

É dito que o Mercúrio sem amor regem especialmente aqueles que vivem de suas inteligências; especuladores cientistas, sofistas, comerciantes, ladrões, intelectuais, mas não necessariamente um moralista. No reino mineral é representado por mercúrio, no reino espiritual pelo deus de comércio.

Marte

Marte representa a força. Esta não orientada pela sabedoria, e por isso é um planeta perigoso, inclinado a atos de violência, atuando precipitadamente e sem consideração. Ele é o princípio que causa a ira, ele pode ser reconhecido como o deus dos guerreiros, soldados, advogados, causando todos os efeitos de um remédio forte. Esta influência pode ser moderada pela união com Vênus. Entre os metais marte é representado pelo aço, no reino dos poderes espirituais, é pelo deus da guerra. Ele é de natureza ígnea e belicosa, e como o fogo não combina com água, bem como um temperamento colérico e a afirmação do próprio ego é incompatível com a calma e com a mente tranqüila necessária para a percepção da verdade.

Vênus

Vênus representa o amor. No mais baixo estado trata-se de uma atração cega, a produção da gravitação entre os planetas corpóreos e os instintos entre os animais. Quanto mais for combinado com a inteligência, mais fica capaz de manifestar qualidades divinas. O amor puro é divino é aquele que só dá e não busca receber. Não tem nenhum desejo; mas cria desejos nos objetos nos quais seu poder desperta. Neste alto aspecto, rege os artistas e os verdadeiros médicos, em seu mais baixo estado rege todos as coisas relativas ao amor e ao matrimônio e em prazeres de diversos tipos. Entre os metais é representado pela prata, no reino espiritual é representada pela deusa do amor. Como o poder é do pai de todos os deuses, Júpiter, igualmente Vênus é a mãe deles. Nenhum ser pode existir sem amor.

Júpiter

Júpiter representa o poder. Esta qualidade difere de acordo com o aspecto em questão. Ele é simbolizado pela águia; porque permite ao homem, se elevar por seu poder às regiões mais altas do pensamento, até mesmo ao trono do eterno. É, ou deveria ser então, o planeta que regem os eclesiásticos e clérigos, e aqueles que tem que lidar com a administração de justiça. Sua influência dá eloqüência. Ele é amigável com os restos dos planetas, exceto Marte; este último não sendo “amado” por nenhum outro planeta, menos Vênus. No reino mineral é representado pelo estanho; no reino espiritual corresponde a Júpiter, o Rei dos deuses.

Saturno

Saturno representa o elemento material. Não a terra tangível e visível, mas a substância primordial da qual todas as coisas foram feitas. Também é o princípio de vida. Produziu e destrói todas as formas, e é então representado como o deus que come as suas próprias crianças. Apenas associado com o Sol, Saturno é frio, planeta cruel e escuro. Rege as pessoas velhas, avaros, e agiotas, pessoas grossas e vulgares, e governa perseguições agrícolas e mineiras. No reino mineral é representado pelo Chumbo; no reino espiritual como o deus de Tempo.

Saturno representa escuridão e medo, melancolia, e a morte; mas também é o deus de Vida, para a tão falada Morte que é somente uma mudança de estado, ao fim de uma velha forma, vem um começo de um novo estado do ser.

Os Doze Signos do Zodíaco

Os doze signos do zodíaco, ou o círculo através do qual a Terra viaja em sua revolução anual ao redor do Sol, são descritos em qualquer almanaque; mas seu significado profundo representa os princípios que formam a base da evolução e involução do universo.

Os doze signos do zodíaco representam os poderes do homem; mas como esses poderes são de natureza espiritual, suas qualidades só podem ser realmente conhecidas no curso da evolução e do desenvolvimento onde ficaremos conscientes de sua existência. Por mais que nós entremos no reino de conhecimento espiritual não é mais do que um jogo de criança comparado com o profundo conhecimento do espírito; mas a porta para o templo no qual a verdade pode ser vista sem um véu é cuidadosamente guardada pelo dragão de egoísmo, e só aqueles que puderem derrotar a “besta” podem entrar no santuário.

Nenhuma “Verdade Maior” nos será alguma vez revelada sem que nós tenhamos sofrido uma morte, para assim podermos realmente começar a viver. Nunca serão divulgados os mistérios do templo interno aos não iniciados, porque eles não entenderiam, nem mesmo se tentássemos dar uma explicação. Coisas sensuais podem ser percebidas pelos sentidos; verdades intelectuais podem ser compreendidas pelo intelecto; mas só o Espírito de Deus no Homem pode buscar a profundidade da Divindade. As ciências podem ser ensinadas, a arte pode ser aprendida pela prática; mas a Sabedoria Divina só pode ser atingida pela graça do espírito divino; e tudo aquilo que o homem pode fazer é se fazer capaz de sua recepção, buscando eliminar de sua constituição os elementos que impedem a entrada da Luz. Por essa razão os livros religiosos aconselham que o homem deve buscar acima de tudo o reino de Deus (a consciência divina), prometendo que então lhe serão dados todos os outros tipos de conhecimento; mas para o zombador e o céptico que desejam buscar com olhos curiosos através do véu, sabido que a sua segurança está em sua ignorância, pelo mal uso do conhecimento adquirido, esta visão geraria a sua própria perdição.

Para darmos uma correta e completa descrição dos doze signos do zodíaco teríamos que ter um livro escrito, que seria maior que todos os livros existentes no mundo, e nem poderemos com palavras descrever de forma adequada a sublime grandeza de pensamento e concepção necessárias para se alcançar a uma compreensão de um dos maiores mistérios divinos, a construção do universo espiritual e material, ou em outras palavras, da Natureza dos seus aspectos como templo vivo de Deus.

Estamos muito conscientes da dificuldade de nossa tarefa, ao tentarmos descrever nossas idéias a respeito do caráter destes princípios divinos, deve ser deixado à tarefa individual a busca de uma maior luz sobre o assunto, buscando em si a verdade oculta.

Áries

Áries, ou Ram, representa o princípio universal da Vida ou o Sol, que é a fonte de todas as coisas. Também pode ser representado por Saturno, ou o elemento universal da Matéria viva ou Substância nos quais todas as coisas são feitas, e pelo seu poder tudo existe. A Matéria e a Força em um; essas duas coisas não representam duas coisas essencialmente diferentes uma da outra; elas somente são duas palavras que representam dois estados do eterno, para qual não há nenhum nome. A Matéria representa a inatividade relativa; da mesma forma que a Força representa um estado mais alto de atividade. O espírito do homem desce à Matéria, ou seja, fica relativamente inativo e inconsciente, e reascende novamente para seu estado mais elevado com seu poder espiritual. O processo ocorre em cada mônada individual e corresponde ao grande processo principal de evolução e involução do universo.

Touro

Touro, ou Taurus, representa o Poder. Ele simboliza o poder divino do princípio universal, que é imediatamente o criador, preservador e o destruidor das formas. Pela força inerente ao princípio divino no Homem, a humanidade é capaz de aspirar algo mais elevado que sua existência meramente material, e se elevar aos seu primitivo estado divino como um ser espiritual. Em um de seus aspectos, pode o signo zodiacal de touro, ser comparado a Lua: porque a luz do Espírito começa a ser refletida pela mente material. Em outro aspecto lembra Vênus, porque todo o poder originalmente surge do Amor, e pela tranqüilidade pode ser comparado a Júpiter, para o Homem é o sinal de que começa a perceber a glória de Deus. Na realidade, cada um dos signos zodiacais podem ser comparados a todos os planetas; para o Espírito tudo compõe a Unidade, e em cada um dos signos estão contidos todas as forças dos outros seis. A distinção não é feita por causa de qualquer diferença em sua natureza essencial; mas sim em relação a forma de sua manifestação.

Gêmeos

Gêmeos ou Gemini representa o Homem espiritual de quem o corpo mortal somente é uma imagem imperfeita ou um reflexo. Ele representa o Deus pessoal de cada homem, o Adonai divino que não é masculino nem feminino, mas é de ambos os sexos unidos pelo matrimônio divino da Inteligência e do Amor. Pode ser dito que corresponde a união de Mercúrio e Vênus, ou na união da vontade ao pensamento. Seus germes estão dentro de todo homem ou mulher, num ser humano completamente feminino não haveria nenhuma Vontade, num ser humano completamente masculino não haveria nenhuma Imaginação. Gêmeos no seu aspecto universal representa o “Grande Espírito”, o Homem Universal Bissexuado.

Câncer

Câncer ou Caranguejo representa o retrocesso; ou seja, a descida final do Espírito do seu estado divino a um estado material pelo ato da criação. Também representa o poder do “Verbo”, pelo qual o poder da criação é feito. É o α e Ω, o começo e o fim; se o verbo nunca tivesse sido pronunciado, nunca teria havido qualquer criação objetiva e Deus não teria deixado o seu estado divino de repouso. Talvez pode ser comparado a Marte, que também representa o Poder que age de forma negligente gerando um perigo pessoal, e sem qualquer consideração sobre as conseqüências que pode resultar a si mesmo no ingresso ao reino das trevas do plano material; impelido pelo poder de Vênus; para que desta forma o Mercúrio que ama a humanidade, envie a sua própria essência e poder para entrar nos corações do gênero humano, e redimir ele do reino das ilusões.

Leão

Leão ou Leo representa o poder divino de Cristo, o Homem ungido pelo conhecimento espiritual que o permite elevar-se na concepção do seu próprio estado divino. Pode ser comparado a Júpiter, ou a Águia que lança vôo até o trono do “Mais Alto”. Representa o verdadeiro salvador do gênero humano; ninguém pode entrar no reino do céu a menos que tenha o poder para fazer isso, ninguém pode ir a Deus no seu estado não manifestado, exceto pelo poder de Cristo no qual Deus se tornou manifestado. Os que desejam entrar no reino através da força, meditem sobre o significado do signo de Leão, para que o reino de céu possa ser alcançado pela conquista.

Virgem

Virgem, ou Virgo, representa a Alma Espiritual do Homem e do Universo, a virgem celestial, a mãe eterna do homem Deus. Pode ser comparado a Lua no qual o poder de Sol é refletido, e se torna luz substancial; é a Intuição Divina que salva da perdição o Intelecto semi-animal; é para sempre imaculada, porque não tem nada que ver com raciocínio externo e a argumentação; conhece a Verdade, porque é unida a ela. Representa Ísis, a eterna deusa da Natureza, de quem do útero surgirá o deus Hórus. É a eterna patrona daqueles que buscam a salvação, com sua influência exaltada o homem eleva-se acima das mais altas regiões do pensamento. Ela é um dos maiores mistérios de religião, e a pesquisa científica externa não pode alcançar o seu significado.

Libra

Libra ou a Balança representa o ponto de equilíbrio, o inimaginável estado de Nirvana, que não pode ser descrito, e na qual não há, na linguagem dos mortais, como explicar esta condição. Se há um planeta que seja comparado com Libra, deve ser Vênus, pelo o amor que é a raiz do qual brota todo o poder.

Quando terminou a criação, os poderes retiram-se novamente ao seio do Pai eterno, descansam na felicidade divina, até o momento em que o equilíbrio seja perturbado novamente pelo despertar de um desejo interno da criação e assim uma evolução começa novamente. A descida do espírito na Matéria recomeça então, produzindo então a “Queda do homem” mais uma vez, e este trabalho de involução é representado nos signos do zodíaco descendentes.

Escorpião

Escorpião ou Scorpio representa o desejo pelo conhecimento que induz o Espírito celestial a descer no obscurecimento das formas materiais. Isto é, a serpente que eternamente tenta Eva a comer a fruta da árvore proibida, usando o intelecto para a sua compreensão do mundo. Por sua influência a atenção do Espírito do Homem é novamente atraída para o reino dos fenômenos e ele novamente entra na roda da evolução, mas em uma escala mais alta que antes. No seu aspecto geral representa aquele estado da Mente Universal na qual a idéia de uma nova criação começa a existir. Se nós tivéssemos que comparar com algum planeta, nós escolheríamos para isto, o planeta Marte ou o amor agindo pela força de vontade.

Sagitário

Sagitário representa a divina Vontade para criar um mundo novo, só o pensamento não seria suficiente para produzir um mundo que só existe na imaginação, a menos que o vontade divina esteja presente para projetá-lo objetivamente. No seu mais baixo aspecto pode representar aquele poder pelo qual o espírito individual, incapaz de criar um mundo por si próprio, é impelido novamente a fazer uma união com a matéria. Em seu aspecto geral pode ser comparado ao planeta Marte.

Capricórnio

Capricórnio representa o exercício do poder construtivo do universo: A lei universal da evolução, que ao tempo de uma nova criação entra em atividade. Ele também é o símbolo da perversão, e em seu mais baixo aspecto pode significar o poder pelo qual o espírito desencarnado constrói um novo corpo e entra novamente no mundo da formação.

Aquário

Aquário, ou o barqueiro, o produto da imaginação atuando com a vontade e o pensamento. A água é o símbolo do Pensamento, e um “barqueiro” homem que vive em contato com a água, simboliza então, um homem formado de pensamento. Todas as coisas são feitas de pensamento; o visível como também o mundo invisível é produto do pensamento e composto da substância da Mente; as formas materiais somente são expressões externas de princípios internos que necessariamente devem ser substanciais, as energias são estados da matéria, é impossível haver uma manifestação de uma coisa inexistente. O universo inteiro é formado por pensamento, produzido pela união da vontade e da imaginação. Aquário pode ser considerado então como o poder criativo da Vontade e do Pensamento divino, ou seja, o Verbo, no seu aspecto geral corresponde ao Poder divino. Em seu aspecto mais limitado, representa o poder pelo qual o Espírito assume novamente uma forma material.

Peixes

Peixes ou Pisces. O peixe vive na água; o homem vive o oceano do pensamento, que se faz mais ou menos material pela de influência de Saturno. Em um dos seus aspectos, o signo do Peixes representa o homem como um ser imerso em um oceano de idéias espirituais, e aqueles que supostamente vivem na região mais alta do espiritual e exaltado pensamento foram chamados de episcopais ou bispos. Em outro aspecto o signo de Peixes, pode representar o mundo de idéias existente na Luz Astral. Gradualmente no Ciclo Evolutivo aproxima novamente do signo de Capricórnio, representando o reino de Matéria; a descida do espírito é então realizada, e a ascensão começa, a menos que o homem permita descer ainda mais fundo no reino da escuridão onde aqueles que rejeitam intencionalmente a luz do Espírito são sentenciados a perecer. O Espírito descendente que possui a idéia da existência do mundo formador, expressa o seu pensamento no ato de criar, ele se acha como um peixe na água, no mundo de formas que ele criou, e o reinado de Saturno começa novamente, com um trabalho de redenção nos signos ascendentes.